Monday, October 26, 2009










Máculas

“A virtude, como os corvos,

Faz seu ninho entre ruínas.”

Anatole France

Mordida de cachorro. Queda de montanha. Acesso de raiva. Queimadura. Agressão por objeto pontiagudo. Raspões. Ação de agentes corrosivos leves. Nenhuma bala havia deixado cicatrizes no meu corpo. A artilharia do destino se muniu de projéteis mais sutis: Desespero. Solidão. Amores camaleões. Rostos fingidos. Com o tempo tornei-me, colecionador de cicatrizes interiores.


Julio Almada do Livro Caderno de Ontem

No comments:

Poemas Reclamados

Loading...