Monday, August 24, 2009















Sem palavras

Não há quadros imóveis para o olhar selvagem
E o teu olho me invade cavando lembranças
O silêncio inventado de nosso encontro
É o doce espanto do fim das palavras
Vestidas de novo de alvoroço...
Minha agonia é um novo dizer
Do que mesmo falado
Prende as palavras.
As águas rasas nos banharam.

Julio Almada do Livro Hora Tenaz

1 comment:

sueli aduan said...

Gostei muito.
"as asguas rasas nos banharam"

de uma delicadeza,mas ao mesmo tempo brutal.

parabéns

Poemas Reclamados

Loading...