Posts

Showing posts from June, 2009
Conheça o Romance Uruguaiana Seis y Cuarto

www.uruguaianaseisycuarto.blogspot.com
Image
Quando não se sabe o nome do amor

A hora do dia hoje: é teus lábios trêmulos
A flor do retrato sem olhos, só boca
Agarrando com suor de saliva os beijos
Não quer perder o amor que sufoca

A brisa do teu perfume aqui me abre
Cicatrizes no espelho que evito
Quero achar-te ali e é tarde
Falar de razão para o infinito

Pressinto a vida no vão da janela
A dávida para mim é só pressentir
Nós: é só um sonho louco e congela
Com solidão parte de mim sem porvir.

Ainda escutarás meu nome e talvez
Esquecer nem seja algo necessário
Sempre depois somos o que se desfez
Ao vermos o antes precioso como falho.

Julio Almada
Image
contorno


Existe na foto
Um osso exposto
O osso do beijo
Que ainda tem gosto

Julio Almada
Image
Uma dor chamada Valdivia

Na fuga de qualquer hemisfério, meus pés mais ao sul resolveram circular: tenho saudade do tempo em que haviam somente quatro estações. A tônica desse tempo é a ruidosa meia-estação, não é nem uma coisa nem outra. E aqui estou, 01:30 depois de uma ligação de uma hora atrás em pleno inferno invernal de Curitiba ou melhor diria, Inverno infernal. A libido está sujeita a graduações em desejos Celsius. Não é o “fog”, há entre nós um oceano de distância...mas sempre há essa neblina que afoga qualquer libertinagem tênue, não a minha. Engulo Curitiba sem água nem prevenção nem ligação antecipada para saber se a vida segue preservada. Sempre conheço a mulher da minha outra vida e apago a cada dia três do que ainda me resta para viver. Quero tê-la, prelúdio de ser abandonado, de figurar para sempre naquelas dúvidas: fui esquecido? O Equívoco é para mim um presente dado sem cerimônia, ano que vem tudo muda, será?

Julio Almada
Image
O silêncio quis revelar seus segredos e, o fez, em 7 horas de um dia.Confessou sua face nas relações – ponte ou abismo, amor ou desamor, fim da palavra ou a palavra enfim.O Livro foi escrito em um só dia: 02/12/2005
-------------------------------
“Há silêncios bem-vindos, outros indecifráveis, alguns polidos e esperados, Há os indesejáveis. Há silêncios de hora inteira, outros de uma vida a devorá-la. Há os de esperar-lhe. Há os de desprezar-lhe. E se tanto silêncio há... Há o de silenciar-me... Para escutar o que seu silêncio diz, além das palavras silenciadas.”
Julio Almada
-------------------
Para Comprar o livro :http://www.corifeu.com.br/login.asp?pagina=cesta.asp&id=87