As viagens tornaram-se perdidas


As viagens, tornaram-se perdidas.
Olhos selvagens: Os rios absolutos.
Perdidas almas, espiando, são viagens.
Janelas da alma, os olhos que
de selvagens, preservam sua natureza,
famintos , aguardando olhares longínquos.
Viajantes, os rios choram,
Preservadas almas, cansadas de chorar.
Declamando, a concisão da alma,
Os olhos, rios formam,
Lágrimas, no diamante de um olhar.

Julio Almada do Livro Instantâneo Enlace

Comments

Popular posts from this blog

Heracles

A Deus Curitiba

Poeta no Equador