Nosso Fósforo

Sequestrar tua pupila
É a pira do meu olhar.
Só tua boca tranquila
Pode a minha acalmar.

Eu gosto é de conter
Fogo com gasolina.
Apagar e derreter
O céu desde a retina.

Tempestade de areia e deserto
Lua brilhante em tua mão
Dor no gozo ao certo

Cada carícia: maldição
Nada vejo estando perto
Afio as asas na prisão.

Julio Almada, Do Livro Poemas Mal_Ditos

www.poemas-mal-ditos.blogspot.com

Comments

Andrea Motta said…
Júlio,
O blog está bem legal!, assim que eu retornar de viagem, divulgarei nas minhas listas!
Feliz Natal!!!
beijinhos
Andréa

Popular posts from this blog

Heracles

A Deus Curitiba

Poeta no Equador