Sunday, April 25, 2010
















Fora de Moda

Um bando de ovelhas negras
Tosou o pastor de roupas brancas.
Não precisa de pele nem alma:
Quem tem as vestes tão alvas;
Quem tem as falas tão brandas;
Quem sabe por onde todos
Têm o modo certo
De chegar não sei onde;
Deus me livre esperar
Um julgamento.
Eu que ainda não sou
nem ovelha negra.
Eu que de rebanhos
Quero distância,
E me visto
Só com a alma:

Que para viver de aparência
Além do olhar maquiado,
Sempre há um gasto de tempo.
Quem vive muito: morre cedo.
Julio Almada, Poemas Mal_Ditos

1 comment:

Ricardo Mainieri said...

Quem de nos não se seduziu por falsos pastores midiáticos e quase se alistou no rebanho?
Eu, também, quero distância da boiada...(rs)
O bonito do ser humano está em sua idiossincrasia, sua peculiaridade.

Abraço.

Ricardo Mainieri

Poemas Reclamados

Loading...